23 de setembro de 2011

TINTIM, O IMPERIALISMO E A EUGENIA

O personagem Tintim do quadrinista francês Herge, dentro de suas muitas aventuras, especialmente as que passam na Àfrica e na China apresentam o pensamento da época, uma ciência denominada, hoje, de eugênica, onde misturavam as conquistas dos saberes biológicos como a Seleção Natural de Darwin e a Genética de Mendel para se compreender a evolução social das civilizações.

A civilização que estava no topo da Evolução Social era a branca européia por isso eles tinham a obrigação de fazer as sociedades mais atrasadas evoluírem, a isso denominavam de “Fardo do Homem Branco”. Isso ocorreu na segunda metade do século XIX e início do XX junto com o Imperialismo.

O evolucionismo tem como base de seus estudos os aspectos físicos, principalmente o das cores da humanidade (“raças”), a miscigenação (misturas de raças) e no aspecto cultural há o etnocentrismo (a cultura do observador se sobrepõem a dos demais). Um exemplo radical de evolucionismo é o nazismo, “raça ariana, de cor branca, olhos e cabelos claros, de origem germânica e pura (que não há miscigenação) são superiores às demais raças”, ou seja, estaria no topo da evolução humana.

Não podemos esquecer que Herge é fruto desse momento histórico, então, é certo que ele reproduza algumas características desse pensamento em algumas de suas obras.

Segue abaixo alguns quadrinhos polêmicos de Herge.

Reparem na questão de quem trabalha, da preguiça e na comparação dos africanos com o cachorro.

Percebam a divinização de Tintim por ser um "branco bom" e mais inteligente que os "babaoros", muito semelhante a bárbaros que denotava pessoas de hábitos primitivos. Dividir o chapéu como Tintim fez só faz perder a função de cobrir a cabeça e proteger do sol.
 
 Desse ultimo quadrinho destaco a máquina fotográfica que foi pega para recordação, ou seja, roubada. 
Veja o personagem Gibbons opinando sobre a intervenção de Tintim quando esse bate em um Chinês.


Fontes e Imagens
O quadrinhos da China foi redirado do livro: FERREIRA, João Paulo Hidalgo. Nova História Integrada: Ensino Médio: Volume Único, Campinas- SP: Cia da Escola, 2005.


Nenhum comentário:

Postar um comentário